Caros Paroquianos e Paroquianas,

Hoje nasceu o Salvador”. Este é o introito à mensagem que, em nome da Paróquia do Divino Salvador de Alvor apraz-me transmitir, na qualidade de Pároco.

Este Menino que nasceu para nós, surgiu como sinal de um mundo novo que deveria despontar. Jesus, o nosso Salvador, veio para ser a Luz do Mundo, para iluminar todos aqueles que andavam em trevas. O nosso Mestre veio, para ser Ele mesmo, o “Bar Kochba”, que, a partir do Aramaico quer dizer: “filho da estrela”. Sim, Ele é o Messias, o descendente de David que nos congrega à Sua volta.

O povo de Israel, naquele tempo, vivia desanimado: o Império impunha pesados impostos, o trono e o altar estavam subvertidos, e muitos eram os que falavam “num apocalipse”, num clima de medo e insegurança generalizados. Também naquele tempo, grassavam epidemias e doenças; também naquele tempo havia fome… Jesus, através da Sua Mensagem, fez-nos perceber que a ferramenta libertadora não é a espada; não é a violência, mas sim o Amor.

De igual modo, caros Paroquianos, estamos cansados de ouvir falar em pandemias… estamos cansados de ver as consequências nefastas nas famílias da crise provocada por esta doença; estamos cansados de sermos assustados com cenários catastrofistas, como se não houvesse amanhã…

Os pastores dormiam ao relento naquela noite, em Belém. Eis que todo o local onde eles se encontravam se encheu de luz e uma multidão do exército celeste se manifestou. Sim, estimados irmãos e irmãs, também nós, quando nos deixamos contagiar com a luz da Boa-nova de Jesus não podemos continuar em trevas nem a dormitar. O Senhor convida-nos, neste Natal, a ser com Cristo luzes que iluminam com a boa-nova. Somos chamados, nós Cristãos, a ser sinais de esperança num mundo em transformação. Não pensemos que a pandemia vai triunfar: não, ela não triunfará. É Cristo quem triunfará!

Nas nossas casas, perante um Natal de todo atípico, somos convidados neste tempo, a sermos cada vez mais FAMÍLIA. Mas não nos esqueçamos desta grande família Cristã de que fazemos parte pelo Baptismo: Não tenhamos medo de celebrarmos a nossa Fé também nas nossas casas assim como nos nossos Templos! Não tenhamos medo de ser “Família”!

Saibamos repartir com os que nada possuem e para quem viu este Natal ser uma mão cheia de nada por causa da perda de emprego. E que esta iniciativa faça transformar o Natal numa celebração quotidiana, pois quem precisa, precisa não só no Natal mas todos os dias. Saibamos, queridos irmãos e irmãs, que uma das coisas que Jesus trouxe com a Sua Boa-nova, foi a restituição da dignidade ao ser humano.

A Pandemia não perdurará… Assim, nós Comunidade Paroquial do Divino Salvador de Alvor desafiamo-vos a, após o fim confirmado desta, a entrarmos numa iniciativa conjunta a todo o mundo: entrarmos para o livro dos recordes do Guiness. O ser humano é, por natureza relacional. E nós, Cristãos, neste tempo de pandemia, fomos exortados a deixar de, nas nossas celebrações da Eucaristia, transmitirmos o “Abraço da Paz” o que a todos nos custa muito. Também o Papa Francisco recorda-nos, nesta nova encíclica, “Fratelli Tutti”, que toda a humanidade é Irmã, porque, independentemente da raça, credo ou cor, somos todos irmãos. Deste modo, desafiamos a que todos os homens e mulheres de boa-vontade se unam, nesta iniciativa que será, a seu tempo, noticiada nos meios indicados.

Quanto a mim, na qualidade de vosso Pároco e pastor desta Comunidade, desejo-vos a vós e às vossas famílias, um Santo e feliz Natal. E que 2021 seja um ano de graça e vos traga tudo aquilo que precisais.

CRISTÃOS, SEDE HOMENS E MULHERES DA ESPERANÇA!

0:00
0:00